Destaque

A ÓTIMA NOTÍCIA para os brasileiros que ainda possuem a MOEDA DE R$1 real

O mercado de colecionadores de moedas e cédulas raras tem crescido constantemente. A saber, a área numismática é responsável pelo estudo de itens colecionáveis, bem como pela sugestão dos valores desses bens.

O mercado de colecionadores de moedas e cédulas raras tem crescido constantemente. A saber, a área numismática é responsável pelo estudo de itens colecionáveis, bem como pela sugestão dos valores desses bens. Geralmente, os numismatas oferecem altas quantias em dinheiro por um item de seu interesse, a exemplo da moeda de R$ 1, que tem sido bastante procurada.

Moeda de 1 real que pode valer R$ 10 mil

Como já mencionado, os especialistas são responsáveis por definirem o valor do item desejado em seus acervos. Portanto, na maioria das vezes, os colecionadores não economizam nos preços. Atualmente, os numismatas estão à procura de algumas moedas raras de R$ 1 e, dentre elas, a que possui a inscrição com a letra P.

Primeiramente, é importante salientar que não se trata de um erro de impressão. Trata-se na verdade de uma identificação de “Prova de Cunho“. A letra nada mais é que uma confirmação que a moeda foi produzida e reconhecida como um item de qualidade pela Casa da Moeda.

No entanto, o que muitos não sabem, é que a moeda com esse detalhe não deveria ser impressa para circulação no país. Dessa forma, por se tratar de um item raro, os colecionadores buscam constantemente por ela, o que faz com que ofereçam um valor alto. De acordo com especialistas, atualmente, a moeda de R$ 1 com o detalhe da letra P pode valer até R$ 10 mil.

Moeda que pode valer até R$ 8 mil

Atualmente, os especialistas buscam por uma moeda rara de R$ 1 que pode chegar ao valor de R$ 8.000. Trata-se da moeda de 1 real, conhecida como reverso invertido ou “bifacial”. A saber, o item em questão é conhecido dessa forma pois possui a mesma estampa em suas ambas partes.

Geralmente, as moedas são emitidas com detalhes diferentes em seus lados. Na parte chamada “cara” fica localizada a efígie (representação de um rosto que representa a República) e, do outro lado, conhecido como “coroa”, fica localizado o valor.

No entanto, no ano de 2017, uma remessa foi emitida com um erro, no qual os dois lados da moeda são coroa. Portanto, a moeda agora conhecida como “bifacial” possui um grande valor para os numismatas, por ser rara e reconhecida com esse detalhe único. De acordo com os especialistas, o valor atual da moeda pode variar entre R$ 6 mil a R$ 8 mil.

Notas raras mais procuradas

  • Nota de R$ 1: O Governo Federal passou a recolher em 2006, as famosas cédulas de R$ 1, hoje consideradas raras devido à falta de circulação. A nota pode custar R$ 275;
  • Nota de R$ 5: Um erro de impressão cometido há alguns anos tornou algumas notas da nossa moeda (real) raras. A princípio, entre elas está a cédula de R$ 5, que para os colecionadores, pode chegar até R$ 2 mil no mercado. Esse erro consiste em um sinal de asterisco em frente ao número de série.
  • Nota de R$ 10: As antigas notas de plásticos emitidas no ano 2000 em comemoração aos 500 anos de descobrimento do Brasil podem custar até R$ 150. O item é cheio de detalhes referentes ao descobrimento e ao contexto histórico.
  • Nota de R$ 50: Os colecionadores também estão à procura da cédula sem a frase: “Deus seja louvado”, perto na numeração. Além dela, outro item raro é a nota com a assinatura do ministro da fazenda Pérsio Arida, que ficou poucos meses no cargo. Ambas podem valer até R$ 4 mil.

Fonte: Notícias Concursos

Comentários

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Portal É Notícias