DestaqueGeral

Cabo da PM morre após fazer lipoaspiração no abdômen

Uma cabo da Polícia Militar morreu após realizar uma lipoaspiração em uma clínica estética em Santo André, no ABC. Valquiria Teixeira Santos da Silva tinha 46 anos e atuava no 18º Batalhão de Polícia Militar Metropolitano. A causa da morte ainda está sendo investigada.

Valquiria morreu na terça-feira (29). Segundo Marcelo Penna Torini, advogado da Clínica Luiz Anchieta, onde ela realizou o procedimento, as circunstâncias da morte indicam que ela teve uma tromboembolia, que é a obstrução de veias por coágulos.

    Arquivo pessoal

“É uma complicação inerente a um ato cirúrgico”, afirma o advogado. De acordo ele, a clínica está apurando o caso, mas aguarda ainda o laudo necroscópico.

A cabo da PM chegou à clínica na manhã de terça. A lipoaspiração foi realizada à tarde e ela continuou internada em observação. À noite, ainda na clínica, ela passou mal e foi encaminhada para um hospital com UTI, mas não sobreviveu.

OUTRO LADO
Em nota, a Secretaria da Segurança Pública de São Paulo disse que o caso foi registrado no 2º DP de Santo André como morte suspeita. “A equipe realiza diligências para localizar as partes envolvidas e esclarecer as circunstâncias da morte.”

A Polícia Militar emitiu uma nota lamentando a morte da cabo. Segundo o comunicado, ela foi sepultada na tarde da quarta-feira (30) no cemitério Nova Cachoeirinha, na zona norte da capital.

O advogado afirma que a Clínica Luiz Anchieta existe há 24 anos numa sede em Alto de Pinheiros, na zona oeste da capital paulista, e há 14 foi inaugurada a unidade de Santo André, onde Valquiria fez o procedimento.

Por mês, nas duas unidades, são realizadas cerca de 200 cirurgias, sendo 70 delas lipoaspirações. Segundo ele, já houve outros episódios de complicações após procedimentos, mas “em todos foi constatado que foi uma fatalidade”.

Fonte: FOLHAPRESSSÃO PAULO, SP

Comentários Facebook

Artigos relacionados

Fechar
Fechar