DestaqueEntretenimento

Cantor sertanejo é condenado a 30 anos por matar a companheira

Após uma discussão do casal, o homem desferiu as facadas e Camila morreu no local. O cantor fugiu.

O cantor sertanejo Antônio Marcos Bueno foi condenado a 30 anos de prisão por assassinar a companheira Camila Lourenço com dez facadas no ano passado, após quase 9 horas de julgamento no Fórum de Araraquara (SP), nesta terça-feira (1º).

Bueno foi condenado em regime fechado por homicídio, feminicídio, motivo torpe e meio cruel. A decisão cabe recurso. A defesa dele não foi encontrada para comentar a sentença.

“Hoje vamos dormir sabendo que a alma dela está descansando e sabendo que a justiça foi feita”, disse a irmã de Camila, Valéria Diogenes Lourenço.

Julgamento

O julgamento começou por volta das 10h e sete pessoas foram sorteadas para compor o júri popular. Além do réu, outras quatro testemunhas também foram ouvidas durante o dia, entre elas, parentes da vítima.

Antes do início do julgamento, um grupo de mulheres, familiares e amigos de Camila fez uma manifestação em frente ao Fórum pedindo por justiça.

A defesa alegou que o cantor agiu em legítima defesa. “Já era um relacionamento conturbado e na data dos fatos ela teria ido à residência dele com certa manifestação de violência e as questões que ocorreram no interior da casa estão sendo discutidas hoje tecnicamente”, disse o advogado José Roberto Nunes Júnior à EPTV, afiliada da TV Globo, durante o julgamento.

O crime

Camila, de 32 anos, foi assassinada em uma casa no Jardim Higienópolis em abril de 2018. A vítima, que era gerente de uma esmalteria, foi até a casa onde o companheiro, de 36, estava morando com a mãe.

Após uma discussão do casal, o homem desferiu as facadas e Camila morreu no local. O cantor fugiu.

A mãe do suspeito e outra testemunha também ficaram feridas ao tentar contê-lo. Elas foram socorridas por uma unidade do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).

Segundo a delegada Meirelene de Castro Rodrigues, da Delegacia de Defesa da Mulher (DDM), Camila nunca tinha registrado uma denúncia de agressão ou ameaça contra o companheiro, mas ele já tinha sido denunciado em outro relacionamento.

Casal estava separado

Camila foi enterrada na manhã de 10 de abril. O cantor foi preso na noite do dia anterior e confessou o crime, que foi motivado pelo término do relacionamento. O casal vivia junto há cinco meses e há duas semanas havia se separado.

Para a prima de Camila e comunicóloga Jeyce Araujo Sobral, Bueno tinha sentimento de posse sobre a gerente.

O cantor foi encontrado após a Polícia Civil receber várias denúncias. Ele estava uma casa vazia na Rua Marechal Deodoro da Fonseca, na Vila Xavier. Armado com uma faca de cozinha, ele tinha vários machucados na mão.

Fonte: Inforondonia

Comentários Facebook

Artigos relacionados

Fechar
Fechar