MunicípiosPiauí

Conselho de Educação Física vai à Justiça contra restrição no funcionamento de academias no Piauí

Funcionamento de academias é questionado pelo CREF-PI — Foto: Reprodução/TV Clube

O Conselho Regional de Educação Física no Piauí (CREF-PI) pretende recorrer do trecho do decreto do Governo do Piauí que aplica medidas mais restritivas e autoriza o funcionamento das academias apenas de segunda (15) a quarta-feira (17).

O decreto entrou em vigor nesta segunda-feira e visa diminuir a disseminação do novo coronavírus, após a taxa de ocupação dos hospitais atingir mais de 90%. No decreto, as academias só vão poder funcionar até quarta-feira, sendo respeitado o toque de recolher de 21h.

O presidente do CREF-PI, Danys Queiroz, explicou que entende a situação da pandemia, mas destacou que a prática de atividade física é importante para manter uma boa saúde.

O profissional disse ainda que o Governo do Piauí já havia reconhecido em outros decretos que os estabelecimentos que realizam a prática de atividade física prestam um serviço essencial.

“Vou me reunir com o meu setor jurídico para que a gente possa ver que medidas vamos tomar, mas é certeza que nós vamos recorrer. Discordamos do posicionamento do governador, já que ele está tomando uma atitude contrária a própria decisão dele, que já tinha considerado a academia uma atividade essencial”, afirmou.

Danys Queiroz explicou que não existe nenhuma comprovação que as academias são locais de grande transmissão do coronavírus. Ele pontuou que a atividade física é um remédio contra a doença.

“Não tem como abrir só três dias e fechar quatro. A atividade física é um remédio. Imagina o médico mandar você tomar todo dia um remédio, mas você passar três dias tomando e passar outros quatro dias sem tomar. Isso não existe”, disse.

“ESSE DECRETO VAI CONTRA OS PRINCÍPIOS BÁSICOS DE CONTINUIDADE. QUERO SABER QUAL É A PESQUISA QUE DIZ QUE A ACADEMIA É UM PONTO DE CONTÁGIO. ESTÃO FAZENDO O CONTRÁRIO DO QUE A GENTE PENSA SER BOM PARA A SAÚDE”, COMPLETOU.

Danys Queiroz acredita que a abertura dos estabelecimentos não vai trazer prejuízos. “Muito se fala das ações preventivas, como o uso do álcool, máscara e lavar a mão, mas esquecem de reforçar outras ações importantes como ter uma boa alimentação, beber água, dormir bem e fazer atividade física”, explicou.

Segundo o profissional, a atividade física é o que mais impacta na melhoria da saúde. “Isso não é falta de empatia nossa com a situação das pessoas que estão internadas, dos que estão doentes, mas acredito na importância da atividade no combate ao coronavírus e nós vamos lutar por isso”, destacou.

Risco de colapso na saúde

O Comitê de Operações Emergenciais (COE), da Prefeitura de Teresina, emitiu uma recomendação à Fundação Municipal de Saúde (FMS) para aumentar as medidas restritivas, com o funcionamento somente dos serviços essenciais.

A entidade afirmou que a pandemia da Covid-19 no município encontra-se em fase de aceleração descontrolada, com risco de colapso assistencial.

No documento, o COE destacou a necessidade de aumentar as medidas restritivas, com um Distanciamento Social Ampliado (DSA) e funcionamento apenas dos serviços essenciais.

Medidas restritivas

Entrou em vigor nesta segunda-feira (15) o decreto publicado pelo Governo do Piauí que dispõe sobre medidas mais restritivas que seguem até o dia 21 de março com o objetivo de diminuir a disseminação do novo coronavírus.

O decreto foi publicado no Diário Oficial do Piauí na noite de domingo (14). Com o novo decreto o toque de recolher inicia às 21h, ficando proibida a circulação de pessoas em espaços públicos, exceto em casos de comprovada urgência, além da restrição em relação ao funcionamento do comércio.

A partir das 21h de quarta-feira (17) às 5h do de segunda-feira (21), somente os serviços considerados essenciais vão poder funcionar.

Fonte: G1-PI

Comentários Facebook

Artigos relacionados

Fechar
Fechar