Picos

Cruizinha Campos do Instituto Monsenhor Hipólito perde a luta contra o câncer e comove toda a população de Picos

Foto/ Reprodução IMH 

Desde a noite desta quarta-feira (22), centenas de pessoas já passaram pelo Salão de Velórios da PAF, na Rua do Cruzeiro, Centro de Picos, para acompanhar o velório da Chefe da Secretaria do Colégio das Irmãs e Leiga Cordimariana, Maria da Cruz Campos.

“Cruizinha”, como era mais conhecida na sociedade picoense a membro da tradicional família Campos, veio a óbito no Hospital São Marcos, em Teresina, por volta das 13h30min de ontem em decorrência de um câncer no pâncreas.

Na manhã desta quinta-feira (23), uma multidão, entre familiares, amigos e muitos colegas de trabalho, acompanhou o velório em clima de bastante emoção.

“É uma perda física, mas a nossa querida Cruizinha ficará eternizada em nossos corações pelo seu legado, pela sua entrega, e ela também era Leiga Cordimariana, se entregou totalmente a vivência do carisma, da compaixão e da misericórdia”, pontou a Diretora do Colégio das Irmãs, Irmã Ana Tereza Bezerra.

No início da manhã o Padre Gregório Leal Lustosa esteve no local e fez uma oração destacando que é necessário ter fé para superar a saudade imposta por momentos de perda como esse.

O velório, que prosseguirá até as 14h00min, acontece ao som, ao vivo, de melodias que falam do amor, da fé, passando muita paz e conforto principalmente para os familiares e amigos mais próximos de Cruizinha.

Foto/ Portal O Povo/ Velório acontece no Salão de Velórios da PAF na Rua do Cruzeiro)

A partir das 15h00min, será celebrada a missa de corpo presente na Igreja do Sagrado Coração de Jesus, a Igrejinha, na Avenida Getúlio Vargas.

Logo após essa missa acontecerá o sepultamento de Cruizinha Campos no Cemitério Jardim da Eternidade, no bairro Parque de Exposição.

Cruzinha Campos

Cruizinha era filha do saudoso casal, Dona Maria Campos e Seu João Luís Campos; e foi casada com o também saudoso, contador, escritor e militante político, Dico Leão.

Ela deixa três filhos, Leila Matildes, Marcos e Laíse, além de uma neta.

Cruizinha trabalhou por 46 anos no Instituto Monsenhor Hipólito (IMH), e mesmo aposentada continuava exercendo com louvor sua função na Secretaria da escola.

“Ela se entregou totalmente a causa da educação e foi uma mãe incondicional naquilo que se faz necessário para amar, cuidar e servir”, concluiu a Diretora do Colégio das Irmãs, Irmã Ana Tereza Bezerra.

Fonte: Portal O Povo

Comentários Facebook

Artigos relacionados

Fechar
Fechar