EducaçãoMunicípios

Estudante piauiense de escola pública que tirou 980 na redação do Enem leu 90 livros em 2019

Estudante piauiense de escola pública que tirou 980 na redação do Enem leu 90 livros em 2019

“Eu gosto muito de ler, sempre gostei muito. Se tenho um tempo estou lendo. Quando estava em casa fazia as atividades e revisões da escola em seguida iniciava as leituras que seguiam até à noite, consigo ler muito rápido e absolvo bem as histórias” disse.

Ana Luísa tem afinidade com distopias e um carinho especial por obras da escritora Sarah J. Maas. Segundo a jovem, a autora faz uma crítica social bastante construtiva sobre problemas de relacionamentos.

“De todos os livros que li ao longo do ano passado o que mais gostei foi um a história de fantasia a Corte de Espinhos e Rosas e o Trono de Vidro da escritora Sarah J. Maas. Em a Corte de Espinhos e Rosas a autora consegue abordar em como a personagem principal, Feyre, sofre um relacionamento abusivo e tóxico em que ela não se dá conta no quanto isso é prejudicial, já em Trono de Vidro, uma distopia, ela consegue abordar um cenário completamente remoto em que a população é liderada por um déspota e mostra como as personagens femininas podem mudar o mundo”, contou.

Centro de Educação de Tempo Integral Didácio Silva — Foto: Arquivo Pessoal
Centro de Educação de Tempo Integral Didácio Silva — Foto: Arquivo Pessoal

A jovem falou que leu também clássicos da literatura como: O Cortiço de Aluísio Azevedo, O Quinze de Rachel de Queiroz, Vida Seca obra de Graciliano Ramos, O Ateneu de Raul Pompeia e que essas obras ajudaram no repertório literário para a obtenção dos 980 pontos na prova de redação do Enem.

Ana Luisa, ainda tem dúvida de que curso escolher, contou que se identifica com áreas da licenciatura. “Gosto muito da área de licenciatura, e confesso que tenho bastante dúvida sobre qual curso escolher, tenho afinidade com história e letras português, mas também gosto muito de psicologia”, explicou.

A jovem estudava em tempo integral das 7h às 17h de segunda a sexta e aos sábados fazia cursos. “Passava o dia todo na escola, tentava ao máximo otimizar meu tempo, fazendo as atividades que tinham que ser feitas na escola, para não ter que levar para casa e quando chegava em casa revisava as disciplinas que eu mais tinha dificuldades”

Ana Luísa contou que ao termino de cada livro costumava fazer resenhas e assim ter controle da quantidade de livros. A maioria dos livros foram lidos pelo celular, outros foram emprestados de amigos e biblioteca da escola.

“A leitura pra mim sempre foi algo muito importante, umas das minhas maiores paixões são os livros, é como se eu sempre pudesse viajar o mundo todo sem ter que sair de casa”, ressaltou.

Fonte: G1 

Comentários Facebook

Artigos relacionados

Fechar
Fechar