DestaqueGeral

Família de bombeiro que tirou a foto do tatu bebendo água é piauiense

Família de bombeiro que tirou a foto do tatu bebendo água é piauiense – Foto: Reprodução

Uma foto de um bombeiro dando água a um tatu que estava fugindo do fogo no Mato grosso, viralizou  e se tornou símbolo das queimadas que afetam a amazônia.  O bombeiro é eleitor do Bolsonaro, e diz que a foto está fora de contexto e foi politizada.

Ele diz em entrevista a BBC que:  “Sou eleitor de Bolsonaro. Fiquei um pouco chateado porque a foto vem sendo usada para denegrir o presidente. Essa nunca foi minha intenção e não tirei essa foto para aparecer. A imagem foi tirada de contexto. Aquele incêndio não foi criminoso, não tinha nada a ver com desmatamento ilegal ou com a Amazônia. Aqui é cerrado”

“Fomos até lá justamente para investigar a origem desse incêndio. Quando estávamos retornando, vimos este tatu. Paramos para ver se ele queria água e ele não ofereceu resistência, porque estava bem fraco”, conta. “Foi quando peguei um copo de água e ele foi tomando. Perdeu totalmente o instinto selvagem. Queria sobreviver a todo custo”.

O sargento Pedro Ribas Alves, conta, que seu chefe teve a ideia de mandar a foto  para a família dele, que mora no Piauí e  rapidamente a imagem se espalhou nas redes sociais.  Questionado na entrevista  sobre a política ambiental de Bolsonaro, ele diz  que Acho uma covardia dizer que ele está destruindo a Amazônia. Tem muita desinformação por aí”, diz, insistindo que não pode falar sobre desmatamento na floresta porque não trabalha lá.

Mas observando  os bastidores da foto  registrada entre os  municípios de Nova Mutum e São José do Rio Claro, a 230 km de Cuiabá, contam uma história diferente. Até quarta-feira (21), o Brasil já havia registrado 74,1 mil focos de incêndio apenas neste ano, um aumento de 84% em relação aos 40,1 mil focos de incêndios em 2018

Fonte: Piauihoje/com informações do Noticias Uol

Comentários Facebook

Artigos relacionados

Fechar
Fechar