Destaque

Focos de queimadas crescem e Piauí ocupa a 2ª lugar no Nordeste

Foto: Divulgação/ Corpo de Bombeiros

O Piauí ocupa a 2ª colocação em quantidade de focos de queimadas na região nordeste, atrás apenas do Maranhão. . Os dados constam no sistema de monitoramento do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), que mostram que o Estado registrou no último mês de setembro 3234 focos.

O período coincide com o início do chamado B-R-O Bró, marcado pelo aumento de temperaturas e baixa umidade do ar. Apesar de sazonal, a situação preocupa o Corpo de Bombeiros e autoridades municipais.

O tenente coronel José Veloso, relações públicas do Corpo de Bombeiros, lembra que o Piauí possui condições favoráveis à propagação do fogo, mas a ação humana também tem uma contribuição efetiva para essa realidade.

“Nós temos as condições climáticas que são relacionadas à propagação, como temperatura elevada, baixa umidade do ar e ventilação intensa nesse período. Temos também o fator humano, que é a cultura do nosso Estado. O plantio  é sempre nesse período, de setembro a outubro, e é marcado pela questão da queimada para preparar o solo”, explica.

Municípios de diversas regiões do Piauí sofrem com o impacto das queimadas. Em Pedro II, Domingos Mourão e Lagoa de São Francisco no norte do Estado, os focos de queimadas já duram mais de um mês. Além de combater o fogo, as equipes do Corpo de Bombeiros trabalham para evitar prejuízos aos moradores de comunidades que atingidas.

“Conseguimos contornar a linha de fogo para que não fosse para dentro das comunidades, mas tem fagulhas que estão saindo a quase 500 metros do local”, relatou o major Rivelino Moura, comandante do Corpo de Bombeiros de Parnaíba, que coordena a operação de combate às queimadas.

Na região, o fogo se espalha por uma aréa de mais de 10 Km de extensão, chegando nas proximidades das comunidades Tapera do Vital, Assentamento nova terra,Assentamento boa esperança, Carnaubal e  Madeira cortada

Foto: Divulgação/ Corpo de Bombeiros

Em Canto do Buriti, distante cerca de 400 Km ao sul da capital, a situação também é preocupante. Os focos de queimadas na região já duram maios de 15 dias, atingindo áreas produtivas do Assentamento Santa Clara. O fogo também chegou a atingir uma rede de transmissão de energia na região.

Natanael Souza/ Fonte: CidadeVerde

Comentários Facebook

Artigos relacionados

Fechar
Fechar