Destaque

Padre bolsonarista pede Pix após Polícia Federal levar aparelhos e revela: “Entreguei sem senha”

Em rede social, padre bolsonarista pediu Pix para comprar equipamentos após ter computador e celular apreendidos pela PF

São Paulo – Alvo de busca e apreensão da Polícia Federal (PF) por suposta participação em tentativa de golpe de Estado, o padre bolsonarista José Eduardo de Oliveira e Silva relatou em uma live, na noite dessa quinta-feira (8/2), que não entregou a senha de seus equipamentos à PF porque está “resguardado” pelo sigilo sacerdotal.

“Entreguei meus equipamentos sem a senha”, disse o padre em seu canal do YouTube. “Não posso expor meus fiéis e as pessoas que me procuram”, afirmou ele.

Reprodução/Facebook

“Estou resguardado tanto pela lei brasileira quanto por acordos internacionais e como sacerdote, meu sigilo sacerdotal não pode ser violado”, disse.

As declarações ocorreram horas após a PF ter apreendido o celular, o computador e o passaporte do padre, que é pároco na igreja São Domingos, em Osasco, na Grande São Paulo. Ele mora no local e mostrou, no vídeo, o escritório onde as buscas foram feitas. Na transmissão, que durou cerca de nove minutos, o padre disse que precisou fazer o vídeo com equipamentos emprestados por terceiros. Já no Instagram dele, uma postagem pedia um Pix de contribuição para que ele adquirisse novos aparelhos eletrônicos.

Foto colorida do padre José Eduardo de Oliveira e Silva, de óculos e chápeu preto
Padre José Eduardo de Oliveira e Silva foi alvo de operação da Polícia Federal contra plano golpista Reprodução/Instagram

Padre diz atender todos que o procuram

Acusado de integrar o “núcleo jurídico” do grupo que supostamente articulava uma forma de manter o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) no poder após a derrota nas eleições de 2022, o padre José Eduardo negou ter colaborado com a suposta tentativa de golpe.

No entanto, ele não desmentiu participado de uma reunião no Palácio do Planalto, em novembro daquele ano, para discutir o tema, e afirmou que é procurado por “muitas pessoas” para aconselhamento espiritual.

“Como teólogo, como filosofo, muitas pessoas me consultam no Brasil inteiro. Prefeitos, vereadores, deputados, juízes, desembargadores, deputados federais, estaduais, senadores, enfim. Eu atendo todas as pessoas que pedem meu auxílio espiritual porque essa é minha missão.”

Segundo a PF, também participaram do encontro Filipe Martins, ex-assessor de Bolsonaro, e o advogado Amauri Feres Saad. Martins foi preso pela polícia na mesma operação e, como relatado pelo Metrópoles, já foi chamado de “grande amigo” por José Eduardo.

No início da noite de quinta, horas após ter sido alvo de busca e apreensão da PF e pouco antes de iniciar sua transmissão no YouTube, o padre deletou as fotos com Filipe e outros bolsonaristas de suas redes sociais. José Eduardo está proibido de manter contato com os demais investigados e de deixar o país.

Comentários

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Portal É Notícias