DestaqueEsportes

Renato entrega o cargo após 3 a 0, mas diretoria do Fla não aceita

Renato Gaúcho segue como técnico do Flamengo mesmo após a traumática eliminação para o Athletico-PR na Copa do Brasil. E por decisão da diretoria. Após a derrota por 3 a 0 na noite desta quarta-feira, no Maracanã, o treinador entregou o cargo, mas foi demovido da ideia por Marcos Braz e Bruno Spindel ainda no vestiário. O clima, por sua vez, está longe de ser leve.

Renato se reuniu com os homens fortes do futebol ainda no calor do jogo, no vestiário do Maracanã, e disse que entregava seu emprego. O treinador assumiu a responsabilidade pelos resultados ruins, mas Braz e Spindel disseram que não e contavam com o trabalho para sequência da temporada.

Pouco depois, em discurso na corrente com os jogadores, os dirigentes reforçaram que “só eles que estavam ali dentro seriam capazes de mudar o rumo da temporada” e endossou o voto de confiança ao treinador. A realidade, por sua vez, é de que cada vez mais cresce nos corredores do Ninho do Urubu questionamento ao trabalho de Renato, principalmente ao conteúdo de suas atividades.

Renato Gaúcho, técnico do Flamengo — Foto: André Durão 
Renato Gaúcho, técnico do Flamengo — Foto: André Durão 

Os relatos dão conta de muitos trabalhos coletivos, seja em campo aberto (com 11 jogadores) ou reduzido, e pouco detalhamento específico de questões táticas. A sequência de atuações ruins, que chega a quatro partidas sem vitórias, com dois empates e duas derrotas, agravou o clima de cobranças.

Em entrevista coletiva, já com o emprego mantido pelos dirigentes, Renato assumiu a responsabilidade do momento ruim em discurso similar ao apresentado aos seus superiores.

– Se tem um culpado aqui, esse único culpado sou eu. Responsabilidade toda minha. O grupo não teve culpa de nada. O Athletico foi quatro vezes e conseguiu fazer três gols. O Flamengo criou mais de 20. Um time desorganizado não consegue criar assim.

Renato Gaúcho foi alvo do torcedor durante a partida contra o Furacão. Ainda com o placar 2 a 0, ouviu xingamentos seguidos de gritos de “Olê, ole, Mister”, em referência a Jorge Jesus.

Pressionado faltando um mês para a final da Libertadores, contra o Palmeiras, Renato Gaúcho e o Flamengo têm mais uma decisão pela frente: sábado, às 19h (de Brasília), no Maracanã, contra o Atlético-MG, pela 29ª rodada do Brasileirão.

Fonte: Meio Norte

Comentários Facebook

Artigos relacionados

Fechar
Fechar