Destaque

VITÓRIA: Parcelas de até R$ 142 para quem mora sozinho deixa brasileiros surpresos

Recentemente, várias mudanças no Bolsa Família vêm sendo comentadas, o que tem deixado muitos brasileiros confusos. A novidade atual é o pagamento de R$ 142 para brasileiros que moram sozinho, porém, é importante entender melhor como funcionará esse pagamento. Afinal, de antemão já podemos dizer que a parcela do Bolsa Família não irá reduzir para R$ 142, mesmo que você more sozinho.

Acontece que a partir de agora, esta será a base de cálculo para o valor mensal do benefício, considerando a quantidade de integrantes de cada família. Parece confuso? Calma! Nós vamos explicar tudo no decorrer deste conteúdo. Acompanhe e entenda.

Parcelas de até R$ 142 para quem mora sozinho deixa brasileiros surpresos
Parcelas de até R$ 142 para quem mora sozinho deixa brasileiros surpresos. Foto: Canva

O valor do Bolsa Família baixou para R$ 142?

Antes de qualquer coisa, é importante que estejamos cientes de que o benefício de R$ 142 não fará com que o valor mínimo de R$ 600 seja reduzido, independentemente de quantas pessoas morem na casa. Isso quer dizer que se você mora sozinho e recebe o Bolsa Família, embora cada pessoa receba um valor de R$ 142, o restante para os R$ 600 ainda será completado pelo governo.

Dessa forma, todas as famílias receberão, sem exceção, um valor mínimo de R$ 600, desde que atendam aos requisitos do programa para permanecer recebendo o valor cheio. O único caso no qual ocorre a redução do Bolsa Família é quando os familiares encontram novas fontes de renda e, assim, o valor do benefício social é reduzido pela metade. Em outros casos, não ocorre essa redução.

No caso do pagamento de R$ 142, também não haverá redução, mas, sim, apenas acréscimo quando pertinente. É o caso de uma família de 5 pessoas: 5 vezes R$ 142 é R$ 710. No entanto, famílias com quatro pessoas ou menos receberão, normalmente, os R$ 600 mensais.

E no caso de gestantes, crianças menores de 6 anos e crianças/adolescentes entre 7 e 18 anos?

No caso de gestantes, famílias com crianças menores de 6 anos ou famílias com membros entre 7 e 18 anos, os critérios de acréscimo ainda serão os mesmos. Serão acrescidos R$ 50 a mais mensalmente para famílias com gestantes; R$ 50 a mais mensalmente para cada membro entre 7 e 18 anos; e R$ 150 a mais para cada criança menor de 6 anos. Nessas situações específicas, a regra que havia sido divulgada recentemente ainda se mantém.

É importante ter em mente que em se tratando de pagamentos extras, como os que citamos acima, o valor é sempre cumulativo. Isso significa que se a família possui duas crianças menores de 6 anos, ambas receberão um acréscimo de R$ 150 no benefício do Bolsa Família. Assim, no fim das contas, além dos R$ 600 garantido todos os meses, ainda haverá mais R$ 300 que serão pagos por conta das crianças pequenas.

Portanto, apesar de termos visto muitas pessoas preocupadas com os pagamentos do Bolsa Família, é importante manter-se atento às informações corretas: não haverá redução no valor, até o momento, para aqueles que atendem aos requisitos do programa. A redução, de fato, só acontece quando a pessoa tem outras fontes de renda que aumentam os ganhos mensais da família.

Isso tudo também vale para quem mora sozinho. Em caso de dúvidas, entre em contato com o CRAS mais próximo de você!

Fonte: Notícias Concursos

Comentários

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Portal É Notícias