DestaqueMunicípios

Agricultores da região de Picos promoverão ato contra Reforma da Previdência

Reforma da Previdência – Foto: Reprodução

A temida “Reforma da Previdência” deixou os trabalhadores brasileiros, sobretudo do campo em estado de alerta. O motivo é que de acordo com a reforma, o brasileiro deverá requerer o benefício da aposentadoria somente aos 65 anos de idade. A mudança é atribuída igualmente para homens e mulheres.

Na cidade de Picos, as várias frentes sindicais dos Trabalhadores Rurais da região estão mobilizando a categoria para a promoção de uma manifestação, a ser realizada na próxima terça-feira (07), a partir de 7h. Os manifestantes em caminhada percorrerão as principais ruas do Centro da cidade com direito a uma parada em frente à sede do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). O ato culminará com uma audiência pública na Câmara Municipal de Vereadores que debaterá o Projeto.

O ato tem por objetivo conscientizar a sociedade picoense sobre os reflexos negativos da Reforma para os trabalhadores brasileiros.

O presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Picos, Ricardo Araújo, explicou que a aprovação da Reforma da Previdência representa um retrocesso para o agricultor. Além disso, ele lembra que a Reforma pode trazer prejuízos para os pequenos municípios nordestinos, onde a arrecadação com a Previdência é superior ao Fundo de Participação dos Municípios  (FPM).

“Essa reforma representa prejuízos, pois a mulher que hoje se aposenta com 55 anos somente se aposentará com 65 anos. Já o homem que requer a aposentadoria com 60 anos, somente se aposentará com 65 anos. Além disso, aumentou também o tempo de contribuição o que é outro problema. Sabemos que o agricultor nordestino vem de prejuízos constantes com a seca e mal tem condição de arcar com as despesas para sobrevivência da família. A Reforma prejudica e muito Vem o homem do campo, vai faltar dinheiro pra circular no comércio das cidades”, frisou o presidente.

Mudanças com a Reforma

A Reforma trará entre  outros reflexos a elevação do tempo mínimo de contribuição de 15 anos para 25 anos. Em se tratando dos funcionários públicos já existe idade mínima no setor público, que é de 60 anos (homem) e 55 anos (mulher), mais tempo mínimo de contribuição de 35 anos (homem) e 30 anos (mulher). A idade mínima também vai subir para 65 anos.

A Reforma afetará diretamente homens a partir de 50 anos e mulheres com 45 anos ou mais serão enquadrados em normas mais suaves, mas com tempo adicional para requerer o benefício. Aposentados e aqueles que completarem os requisitos para pedir o benefício até a aprovação da reforma não serão afetados.

Folha Atual

Comentários Facebook

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar
Fechar