Destaque

Conheça a história do cearense que criou o “Leite de Rosas” e foi prefeito no Amazonas

Quem nunca ouviu falar ou já viu o famoso ‘Leite de Rosas’? O recipiente cor de rosa com o formato levemente triangular, o cheiro característico e o líquido utilizado para limpeza de pele faz parte da vida de diversos brasileiros. O que poucas pessoas sabem é que seu criador é natural de Quixadá, da serra cearense.

Conheça a história do cearense que criou o “Leite de Rosas” e foi prefeito no Amazonas - Imagem 1
Conheça a história do cearense que criou o “Leite de Rosas”. | Divulgação Site Leite de Rosas

Francisco Olympio de Oliveira, nasceu em 1878 numa fazenda na cidade do ceará durante a maior seca do século XIX. Órfão aos nove anos, o jovem cuidou de seus cinco irmãos mais novos, até quando um tio assumiu a responsabilidade. Quando adolescente, fugiu para o Rio de Janeiro, onde encontrou emprego em um escritório.

Logo após, ele retoma os estudos e se muda para o Espírito Santo. Francisco Olympio se envolve na abertura de estradas e no comércio de materiais, expandindo seus negócios até alcançar o Amazonas durante o auge do ciclo da borracha. Após o declínio da indústria, muda-se para Itacoatiara (AM), tornando-se pecuarista e fazendeiro.

Ele é eleito prefeito da cidade e se casa com Maria de Lourdes em 1920.

DIFICULDADES E MUDANÇAS

Após enfrentarem a perda de filhos recém-nascidos e as lutas políticas, Francisco Olympio decide mudar-se novamente, desta vez para Bahia, dedicando-se à comercialização de gado zebu. Porém as dificuldades aumentam já que o negócio não vinga e sua esposa enfrenta uma profunda depressão.

Aos 50 anos, diante das dificuldades, ele vende tudo novamente e volta com Maria Lurdes para o Rio de Janeiro, onde ela se trata da doença. De acordo com o Site Leite de Rosas, é neste momento que o casal da inicio ao seu empreendimento.

Leite de Rosas Traicional./Foto:  Divulgação Site Leite de Rosas
Leite de Rosas Traicional./Foto:  Divulgação Site Leite de Rosas

Em uma pensão de dois quartos, no bairro Laranjeiras, na rua Ipiranga 51, eles começam a desenvolver uma fórmula cosmética, ideia que Francisco Olympio vinha amadurecendo desde Manaus. Com a ajuda do amigo farmacêutico e da esposa, fabricaram o produto discretamente na pensão.

O criador promoveu o Leite de Rosas com cartazes pelas ruas durante as madrugadas. O site ainda  informou que a empresa foi registrada em 29 de julho de 1929 como F. O. de Oliveira Ltda.

Conheça a história do cearense que criou o “Leite de Rosas” e foi prefeito no Amazonas - Imagem 3
Foto: Divulgação Site Leite de Rosas

Cinco anos depois, com suas filhas Maria Coeli e Helena, a família se mudou para o bairro do Jardim Botânico, onde instalaram o negócio na garagem de casa e contrataram seu primeiro funcionário. A empresa, conhecida como Laboratórios Leite de Rosas, expandiu-se por todo o Brasil.

Francisco Olympio faleceu aos 84 anos, em 1962 cercado pela família.

Fonte: Meio Norte

Comentários

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Portal É Notícias