DestaquePio IX

De Homero Castelo Branco, livro remonta a história da Família Antão Alencar

De Homero Castelo Branco, livro remonta a história da Família Antão Alencar

Foi lançado no início deste ano, pelo escritor Homero Castelo Branco, a obra “História do Piauí – Passageiros do Passado | Volume 2”, que conta a história da Família Antão, reunindo peças do que o autor chama de “quebra-cabeças familiar”, remontando a vida dos personagens e a relação com a história piauiense.

Traz destaque para Dona Bárbara Pereira de Alencar e Joaquim Antão de Carvalho, avó e neto. Ela tem o nome inscrito no livro Heróis da Pátria, no panteão da pátria em Brasília (DF) e foi casada com o português José Gonçalves dos Santos, com quem teve cinco filhos.

Ao falar do livro, Homero Castelo Branco lembra que sua história com a família Antão Alencar começou ainda em 1973, quando ingressou na política partidária. O apoio que recebeu acabou se transformando em amizade. “A cada linha que escrevia e a cada palavra pinçada em documento, encontro apoio, carinho e muito amor de pessoas a quem tenho muito a agradecer”, diz.

A apresentação do livro é feita pelo médico veterinário Odon Antão de Alencar, que destaca o “trabalho elogiável” de “texto primoroso”, trazendo à tona o que estava “oculto pela neblina do passado”.

Traz ainda prefácio de Agatangelo Neiva Luz, advogado e procurador; Cristóvão Antão de Alencar, ex-prefeito de Francisco Macedo; Aldemar Abimael Alencar, líder político; Raimundo Nonato Alencar, atual prefeito de Francisco Macedo; e Sebastião Antão Alencar, biólogo e ex-prefeito.

Sobre o autor
Homero Castelo Branco viveu na infância em Teresina, Altos e Luzilândia, no Piauí, a juventude em Campos Sales, Quixadá e Fortaleza, no Ceará; Após a graduação em Economia na Universidade Federal do Ceará voltou ao Piauí. Economista da Coordenação de Desenvolvimento Econômico do Piauí; professor da Escola Técnica Federal do Piauí, secretário de Planejamento da Prefeitura de Teresina; deputado estadual por oito legislaturas; membro efetivo da Academia Piauiense de Letras, do Instituto Histórico do Piauí, da Academia de Ciências do Piauí e da Academia de Letras do Médio Parnaíba.

Fonte: 180Graus

Comentários Facebook

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar
Fechar