DestaquePio IX

Decisão da SEDUC sobre remanejamento de escola revolta a sociedade de Pio IX; entenda!

Decisão da SEDUC sobre remanejamento de escola revolta a sociedade de Pio IX

Uma decisão da Secretaria Estadual de Educação (SEDUC/PI) está causando bastante polêmica no município de Pio IX. Tudo aconteceu após a Unidade Escolar Nossa Senhora do Patrocínio (UENSP) ser contemplada pelo governo do estado para funcionar no regime de tempo integral.

Até aí tudo bem. O fato é que a estrutura da escola contemplada para o regime de tempo integral não comporta a demanda exigida pelo governo e por conta disso será feito o seguinte remanejamento: o ginásio (ensino fundamental) da escola estadual Francisco Suassuna de Melo será reconduzido para a Padre Ibiapina, instituição de ensino que até então se encontrava desativada, e o prédio da referida escola será cedido para o ensino médio de tempo integral.

Escola Suassuna de Melo em Pio IX

A decisão revoltou pais de alunos e professores que não aceitam de modo nenhum, o remanejamento. Segundo funcionários, além da escola Padre Ibiapina não ter capacidade de comportar todo o alunado da Unidade Escolar Francisco Suassuna de Melo, tanto alunos como pais de alunos reclamam da troca devido o processo histórico da mesma, que oferta o ensino fundamental em Pio IX há quase sessenta anos.

“Pessoal estamos passando por um momento triste aqui na Unidade Escolar Francisco Suassuna de Melo. Pois o Estado informou que temos que desocupar o prédio do Ginásio para uma escola de tempo integral. Infelizmente essa ideia que até é muito boa para a Educação não resolve o problema dos alunos da UENSP, pois é incompatível com a realidade. A escola Ibiapina é uma excelente escola, mas não comporta os alunos do Suassuna. Esse remanejo não supre as necessidades nem da UENSP para Ginásio e nem do Ginásio para o Ibiapina. Cadê o processo histórico? Não importa? São 56 anos de história. Não dá para passar uma borracha. Não se pode apagar o Suassuna de Melo modalidade fundamental II da noite para o dia. Faz se saber que os integrantes desse educandário não vão ficar de braços cruzados”, disse uma professora numa rede social.

Na manhã desta segunda-feira, 09 de janeiro, a supervisão estadual de ensino se reuniu com funcionários e pais de alunos para debaterem sobre o assunto e o debate deve ser estendido também até a Câmara Municipal dos Vereadores que deve convocar uma Sessão Extraordinária somente para tratar sobre o tema.

Comentários Facebook

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar
Fechar