MunicípiosNotíciasPolítica

Ouça as gravações feitas pelo dono da JBS com presidente Michel Temer

Ouça as gravações feitas pelo dono da JBS com presidente Michel Temer

O Supremo Tribunal Federal (STF) divulgou nesta quinta-feira as gravações feitas pelo empresário Joesley Batistas, um dos donos da JBS, e apresentadas como parte da sua delação premiada. Os arquivos de áudio foram enviados ao presidente Michel Temer e depois divulgados para a imprensa.

Em uma das gravações, o presidente aparece dando aval para o pagamento de propina ao deputado cassado Eduardo Cunha em troca do silêncio dele. Diante de Joesley, Temer indicou o deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR) para resolver um assunto da J&F (holding que controla a JBS). Posteriormente, Rocha Loures foi filmado recebendo uma mala com R$ 500 mil enviados por Joesley.

Temer também ouviu do empresário que estava dando a Eduardo Cunha e ao operador Lúcio Funaro uma mesada na prisão para ficarem calados. Diante da informação, Temer incentivou: “Tem que manter isso, viu?”.

As delações premiadas de Joesley e Wesley Batista já foram homologadas pelo ministro do STF Luiz Edson Fachin, relator da Operação Lava Jato, o que dá validade jurídica ao acordo e permite novas investigações com base nos relatos.

Além de documentos, há gravações e vídeos feitos pelos delatores e também pela Polícia Federal no caso.

Diante da intensa repercussão do assunto, o presidente Michel Temer fez um pronunciamento nesta quarta no qual declarou que não renunciará ao cargo.

Com base nas delações dos empresários, Fachin autorizou a abertura de um inquérito para investigar o presidente.

TRANSCRIÇÃO

JOESLEY BATISTA: QUERIA TE OUVIR UM POUCO, PRESIDENTE. COMO TÁ NESSA SITUAÇÃO TODA, EDUARDO, NÃO SEI O QUE, LAVA JATO.

MICHEL TEMER: O EDUARDO RESOLVEU ME FUSTIGAR. VOCÊ VIU QUE… EU NÃO TENHO NADA A VER COM A DEFESA. O MORO INDEFERIU 21 PERGUNTAS DELE, EU NÃO TENHO NADA A VER COM A DEFESA DELE. EU NÃO FIZ NADA [INAUDÍVEL].

JOESLEY: EU QUERIA FALAR ASSIM. DENTRO DO POSSÍVEL, EU FIZ O MÁXIMO QUE DEU ALI, ZEREI TUDO, O QUE TINHA DE ALGUMA PENDÊNCIA DAQUI PARA ALI, ZEROU TUDO. E ELE FOI FIRME EM CIMA E JÁ ESTAVA LÁ, VEIO, COBROU, TAL, TAL, TAL. PRONTO. ACELEREI O PASSO E TIREI DA FILA. O ÚNICO COMPANHEIRO DELE QUE ESTÁ AQUI, PORQUE O GEDDEL SEMPRE ESTAVA [INAUDÍVEL] GEDDEL É QUE ANDAVA SEMPRE ALI, MAS O GEDDEL EU PERDI O CONTATO, PORQUE ELE ESTÁ INVESTIGADO E EU NÃO POSSO ENCONTRAR ELE. […] O QUE QUE EU MAIS […] O NEGÓCIO DOS VAZAMENTOS, [INAUDÍVEL] EU TO LÁ ME DEFENDENDO. COMO É QUE EU, O QUE EU MAIS OU MENOS CONSEGUI FAZER ATÉ AGORA. EU ESTOU DE BEM COM O EDUARDO

TEMER: TEM QUE MANTER ISSO, VIU…

Entenda

As delações premiadas de Joesley e Wesley Batista já foram homologadas pelo ministro do STF Luiz Edson Fachin, relator da Operação Lava Jato, o que dá validade jurídica ao acordo e permite novas investigações com base nos relatos.

Além de documentos, há gravações e vídeos feitos pelos delatores e também pela Polícia Federal no caso.

Diante da intensa repercussão do assunto, o presidente Michel Temer fez um pronunciamento nesta quarta no qual declarou que não renunciará ao cargo.

Com base nas delações dos empresários, Fachin autorizou a abertura de um inquérito para investigar o presidente.

O Globo e G1

Comentários Facebook

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar
Fechar