Destaque

“Vamos ter que adotar (restrições) na alegria, ou na dor”, disse Wellington Dias

“Vamos ter que adotar (restrições) na alegria, ou na dor”, disse Wellington Dias

Em entrevista na quinta-feira, 11, o governador piauiense Wellington Dias frisou que as medidas restritivas deverão ser tomadas, ‘seja na alegria, ou na dor’, sendo a única saída atual para minimizar o contágio.

“Vamos ter que adotar na alegria ou na dor, porque as medidas restritivas protegem a saúde, protegem a economia. Estamos dispostos a esse enfrentamento, queria vê-lo (o presidente) também na defesa de salvar vidas. Estamos em meio a um colapso na rede hospitalar, será que mesmo para reconhecer precisa chegar a todos os hospitais? Porque já chegou em todos os Estados”.

O governador disse que, se preciso, contrariará o presidente e seus seguidores.

“O Consórcio Nordeste é uma das mais importantes inovações em gestão dos últimos anos. No Piauí queremos evitar que as pessoas não tenham um respirador, não tenha um leito, e precisamos caminhar para que o Brasil tenha vacinação, muitas vezes inclusive contrariando o presidente da República, e seguidores que não entendem da necessidade de paralisação de serviços para paralisar óbitos”, frisou.

Fonte: Meio Norte

Comentários Facebook

Artigos relacionados

Fechar
Fechar