DestaqueGeral

Notícias do Trecho: Conheça a Termelétrica de Punta Catalina, obra construída pela Odebrecht na República Dominicana

Conheça a Termelétrica de Punta Catalina, obra construída pela Odebrecht na República Dominicana

Construída na República Dominicana pela Odebrecht Engenharia & Construção Internacional – Engenharia Industrial, em consórcio com a Tecnimont e a Estrella, a Central Termoelétrica Punta Catalina é sinônimo de desafio. O empreendimento tem status de megaprojeto por reunir diferentes frentes de trabalho: engenharia básica e detalhada; fornecimento de equipamentos e materiais; e obras civis, marítimas e de montagem eletromecânica. Hoje, 4 mil integrantes trabalham no projeto, sendo 99% deles dominicanos.

Localizada na província de Peralvia, Punta Catalina avança em ritmo de construção acelerado e deve iniciar geração de energia a partir de 2018. Um dos maiores e mais importantes projetos de infraestrutura já executado no país, contará com uma termoelétrica de carvão de 720MW de potência, representando uma ação significativa para resolver o problema de alto custo da produção de energia no país.

A República Dominicana é um país localizado ao centro-leste da América Central, mar do Caribe. Tem uma área de 48.442 km² e apresenta uma área de florestas de 16 mil km². A capital é Santo Domingo e a segunda cidade é Santiago de los Caballeros, mais conhecida simplesmente como Santiago.

Maior emissário da história da Odebrecht

Para as equipes da Odebrecht, Punta Catalina também significa superação. As obras incluem a execução do maior emissário submarino já construído pela empresa, com três tubos de 2,5m de diâmetro e 350m de extensão. O emissário é um dos componentes-chave da termelétrica e será responsável por realizar a descarga da água utilizada para refrigerar as caldeiras de vapor.

“As tubulações foram fabricadas na Noruega e preparadas na Baía das Caldeiras, já nas cristalinas águas dominicanas, antes de serem rebocadas por 21 milhas náuticas até o local do afundamento”, detalha Carlos Alberto Coutinho, diretor de Contrato. “O processo foi preparado por nossa equipe de obras marítimas, que levou em consideração todos os fatores de risco, incluindo condições meteorológicas”, acrescenta.

Paralelamente, as obras do porto contemplam a construção de uma ponte de acesso, quebra-mares e um de cais, por onde será descarregado o carbono que alimentará a usina.  Com 95% dos principais equipamentos comprados e já no canteiro, junho marcou o início de uma nova fase do empreendimento.

Todos os processos seguem os pré-requisitos exigidos para esse tipo de construção. Reflexo dessa preocupação, Punta Catalina possui certificação ISO 9001, que afere ao projeto os mais altos padrões internacionais de Sistema de Gestão de Qualidade.

Sustentabilidade

Para assegurar que os impactos ambientais sejam mínimos, ações são realizadas para garantir que a fauna e flora existentes sejam preservadas e que os recursos naturais, utilizados de forma responsável. A República Dominicana é o destino mais procurado do Caribe, com um ecossistema marinho único no mundo.

Em um esforço conjunto com parceiros e governo, nos primeiros dois anos do empreendimento, iniciado em 2014, o Negócio implementou seis programas sociais focados em duas frentes. A primeira, de Educação e Saúde, tem realizado ações que vão de alfabetização de adultos a saúde bucal. A segunda frente, de Oportunidades de Trabalho e Renda, busca a qualificação profissional por meio de programas como o Acreditar e de agricultura familiar.

O projeto já vem mudando a realidade da província de Peravia. Já foram geradas 4 mil oportunidades de trabalho diretas, das quais, 30% são formadas por moradores das regiões do entorno.

Fonte: Odebrecht.com

Comentários Facebook

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar
Fechar