DestaqueMunicípiosPolícia

Polícia não sabe o que fazer com cadeirante preso no interior do Piauí

O que parecia ser mais uma prisão rotineira acabou se transformando em um problema para a polícia civil da cidade de Simplício Mendes.

Na tarde da última terça-feira (31/10) uma guarnição da Força Tática de Simplício Mendes efetuou a prisão em flagrante de dois homens na cidade de Paes Landim, identificados por Welton Alves Batista e Jaime da Silva, acusados de tráfico de drogas e posse ilegal de arma de fogo. Após efetuar a prisão, os militares conduziram os acusados para a delegacia em Simplício Mendes, até ai tudo normal, os problemas tanto para a polícia civil como para o acusado surge a parti daí.

Welton Alves Batista é deficiente físico (cadeirante) e está enfrentando grandes dificuldades dentro da cela da delegacia em Simplício Mendes, por falta de acessibilidade e por não ter as condições necessárias para receber um cadeirante diz a polícia civil.

O preso é acusado de tráfico de drogas, posse ilegal de arma de fogo e ameaça.

Veja o que disse o delegado Luciano Santana. 

A Polícia Civil de Simplício Mendes, na manhã desta sexta-feira (03/11) tentou dar cumprimento a decisão judicial, emanada pelo Juiz da Comarca de Paes Landim, onde o mesmo determinou que fosse feita a condução do preso Welton, para a  Penitenciária de Oeiras. Welton é deficiente físico e cadeirante há sete anos. Ocorre que ao chegar na citada penitenciária, o diretor daquela instituição se recusou a receber o preso, por não possuir condições físicas adequadas para custodiá-lo.

Veja documento:

Segundo o agente de polícia civil Pinheiro a alternativa apresentada é levar o preso para UAPI em Teresina se conseguir uma vaga, já que o presidio de São Raimundo Nonato está lotado, mas a polícia alega não ter combustível para fazer o deslocamento.

Blog do JB

Comentários Facebook

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar
Fechar